Palestras
 
InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Registrar-se
Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Chat
Últimos assuntos
» Ajuda Mútua - Uma forma simples de ganhar dinheiro
Ter Maio 22, 2012 2:12 am por Fog

» Os girassóis e nós.
Ter Jan 10, 2012 6:32 am por carine

» Missa Canção Nova 20/111/2010
Seg Nov 22, 2010 2:51 pm por regina

» Não Percam hoje Padre Fábio no programa Todo seu
Sex Nov 19, 2010 2:51 pm por regina

» NOVO LIVRO DE PADRE FABIO!
Qui Nov 18, 2010 3:46 pm por regina

» Programas de 2010
Sab Nov 13, 2010 12:33 pm por regina

» DVD ILUMINAR
Sex Nov 12, 2010 1:27 am por regina

» Show Padre Fábio em Ilhéus dia 05/11/2010
Dom Nov 07, 2010 4:48 pm por regina

» Show em Aparecida 10/2010
Sex Out 15, 2010 12:23 am por regina

Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Patrocinadores
Musica

marcas do eterno - Fabio de Melo

Compartilhe | 
 

 EQUESTRADOS E SEQUESTRADORES

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
regina
Admin
avatar

Mensagens : 981
Data de inscrição : 04/08/2008

MensagemAssunto: EQUESTRADOS E SEQUESTRADORES   Sex Ago 08, 2008 12:50 am

SEQUESTRADOS E SEQUESTRATODORES..

Toda vez que falamos de seqüestro da subjetividade, estamos evocando o contexto de risco em que está situada constantemente a nossa singularidade.
Quando falamos de seqüestro da subjetividade, não há a necessidade de cativeiro material. O roubo é mais profundo, pois é levado muito mais que a materialidade da vida.É a profanação da subjetividade, o acesso inescrupuloso aquela realidades do sujeito particular, forçando-o a desprender de si mesmo para viver uma forma estranha e socializada de escravidão e dependência.
Num primeiro momento, o seqüestro tem as mesmas características da conquista
Seqüestro da subjetividade acontecem o tempo todo. Todos nós estamos expostos aos riscos. Não é necessário muito tempo para que alguém nos leve de nós. Uma palavra, um olhar, uma opinião, tudo pode ser laço que nos prende e aos poucos nos leva de nós

Foi o que aconteceu com aquela menina.....

No início, era apenas uma aproximação despretensiosa, e por isso a família não viu a necessidade de intervir.
Os encontros eram ocasionais e o rapaz nem chegou a conhecer os familiares dela.
A história começou a ficar mais séria quando, meses depois, os pais perceberam os maus resultados no colégio. Com tais resultados surgiu também uma tristeza desoladora. A menina mergulhou num processo terrível. Tentou duas vezes o suicídio.
Levada a um terapeuta, finalmente as razões do sofrimento foram conhecidas.
A menina estava apaixonada pelo rapaz há mais de um ano e, desde que ficaram juntos pela primeira vez, ele a transformara num objeto de seu prazer. Ele mantinha um relacionamento de mais dois anos com uma outra menina. Ela era a “outra” e sempre soubera disso.
Com apenas 16 anos, aquela menina já tinha enfrentado, sem o conhecimento de seus pais, os perigos de um aborto caseiro. Ele a obrigara a fazer tudo isso.
As humilhações eram comuns. Não a procurava, senão para sua satisfação pessoal. A menina cumpria o papel de “prostituta socializada”.
Ela havia perdido a capacidade de dizer “não” aos pedidos dele.
O conflito ficou estabelecido e naturalmente a angústia e o sofrimento chegaram.
O medo de romper totalmente com o rapaz estava impedindo-a de tomar a decisão certa para a sua vida. Preferiu reduzir a sua vida aquele espaço miserável que lhe era oferecido.
Desprovida de amor próprio, resignou-se a viver como objeto de prazer de seu seqüestrador. Deixou de ser pessoa.
É estranho, mas essa menina é o retrato de uma realidade muito comum entre nós. Seqüestrados que aceitaram a condição de vítima.
O rapaz teve acesso à totalidade daquela menina. Certamente investigou suas fragilidades e fez questão de utiliza-las. Rendida de amor, ela aceitou o pouco que ele lhe dava, pois temia não sobreviver sem o seu amor de precariedades.
Mediante ajuda terapêutica, a adolescente pôde retomar as rédeas de sua vida e expulsar o rapaz e suas artimanhas ardilosas.
Toda relação humana necessita de cuidados, porque sempre transita nos limites tênues entre amor e posse. Do amor à posse o caminho é curto. Basta que percamos o foco de nossa identidade para que corramos o risco de alguém administrar nossa vida, roubando-nos de nós mesmo.

[b]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://padrefabiodemelo.forumbrasil.net
 
EQUESTRADOS E SEQUESTRADORES
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Padre Fábio de Melo :: Forum :: Geral :: Livros-
Ir para:  

marcas do eterno - Fabio de MeloForumeiros.com | © phpBB | Fórum grátis de ajuda | Assinalar uma queixa | Fórum grátis